quarta-feira, 4 de março de 2009

A bailarina

(Ana Luiza Miranda)
A bailarina rodopiava no palco toda enfeitada de fitas, com seu vestido bordado de pedrinhas cintilantes. Mas lindo mesmo, era o jeito como a luz batia nas pedrinhas pra depois refletir todas as cores em volta dela. Rosa, verde, azul, amarelo... Todas as cores!

Assim era a bailarina, feita da luz mais bonita que existia.

E ela dançava charmosa na pontinha dos pés como se cordas suspendessem-na do chão. E saltava como se fosse ao trampolim. E sorria como se fosse pra um grande amor. E voava... Como se tivesse asas.

Mas, curioso, não havia música... Apenas a tímida voz:

-1, 2, 3... 1, 2, 3...

Sempre repetindo, o mesmo ritmo, o mesmo tom. Até que alguém resolveu perguntar:

-Linda bailarina, como pode ser dançar sem música?

-Mas há música... –Ela disse descendo das pontas – Bem aqui dentro de mim...

Olharam para seu rosto bonito e seu olhar brilhava mais que as pedrinhas do vestido. Como era linda a bailarina!

-E como você sabe que está dançando certo?

-Ora... Não há como perder o compasso quando se dança a música do coração!

4 comentários:

João Paulo ² disse...

Propaganda enganosa !
Esse pé não é dela ! rum !

\z

saudades prikitamente's

NaciDuak disse...

Isso me fez lembrar dos seus desfiles na comercial.. Era muito legal.

Abração Nana!

Henrique Nascimento =p

Mayre disse...

Texto lindoo!

*_*

BeijO* Nana!!!

Jana Melo disse...

\o/ que lindo. Parabéns Nana.