terça-feira, 28 de abril de 2009

O mundo não muda. O que muda é a gente.

(Ana Luiza Miranda)
A mudança acontece da seguinte forma: Primeiro vem o desejo de mudar não-sei-o-que dentro da gente. Talvez uma roupa, ou o jeito de andar, ou quem sabe o cabelo... É o cabelo sempre é vítima das nossas vontades de mudar. Mas é lógico que o medo, essa prisão, sempre vem dizer que na verdade não precisamos mudar... Na verdade “o mundo é que tem que aceitar a gente desse jeito, afinal nós não precisamos nos dobrar aos apelos dele. Temos é que ser sinceros conosco e pronto.”

Bom, sabemos quando estamos mentindo pra nós mesmos. E o que é mais legal, mentimos mesmo assim...Mas isso já é outra coisa...O que interessa mesmo é que mentimos a nossa autenticidade, por medo.

Sim, chega uma hora que percebemos que esse não é o caminho. Aí afirmamos pro mundo: Vou mudar! E começam as listas. O que deixar de fazer, comer, vestir... Mal sabemos nós, que mudança não é deixar de fazer, é sim fazer algo a mais. Se não fosse assim a lagarta na hora de mudar apenas morria, pois que só rasteja e come. Mas não, ela escolheu voar.

Aí ficam os bobos achando que mudar é aqui do lado de fora, do lado que todo mundo vê. E começam as promessas, e as falsas mudanças. Aquelas em que a gente muda só o visual ou até mesmo algo dentro da gente, mas sempre pra alguém. Mas essas mudanças nunca duram. Não se preocupem. Coisas falsas nunca duram. Acabam-se como desenhos na areia. Ora pelo vento, ora pela água do mar. Mas se acabam. E nos resta apenas o ser nu de experiências, pobre de sabedoria e servo do orgulho.

“Você quer ter razão ou quer ser feliz?” Me perguntaram uma vez.

Estranho como os outros precisam nos acordar pra vida que passa. Mas quando acordamos de verdade é que as coisas acontecem. É quando decidimos não sermos palavras, mas sim as águas e o vento que transformam. É quando dizemos “É chegada a hora!”. E falamos pra nós mesmo, porque ninguém mais precisa saber. Ninguém mais precisa entender. Ninguém mais precisa ver as provas de nossa felicidade.

Ninguém mais.

E essa é a melhor parte das mudanças. Porque é quando a verdade se estabelece e nós nos tratamos com a maior sinceridade possível. Dói. Afinal existem pessoas que muito provavelmente por amor não nos queiram ver mudados. E sim, vão tentar impedir. Mas quando travamos uma batalha contra nós mesmos e vencemos ninguém mais nos assusta. Mudar é antes de tudo, uma decisão. E esta mais do que decidido.

2 comentários:

Dree disse...

Incrível!
Eu passei por uma situação muito punk essa semana, uma cobrança de mudança e hj eu vejo o seu texto...

aaaah Nana, como vc ainda consegue me ajudar msm qd tá longe de mim?
Eu peço sua permissão pra colocar seu texto no meu perfil. Vai estar lá com o seu lindo nome em negrito.

beeeijo

Leili disse...

Perfeito!!!!!!!!!!!!!!